O planeta Terra é para nós, humanos, o planeta mais importante do Sistema Solar. Além de ser o mais denso, o terceiro mais próximo do Sol e o maior planeta terrestre, é onde vivem os seres humanos. Nosso planeta é, por enquanto, o único lugar no Universo onde podemos sobreviver naturalmente. Formada há cerca de 4,5 bilhões de anos, por poeira estelar que não foi absorvida pelo Sol, a Terra é atualmente um planeta que abriga não só a vida humana, mas milhões de outras espécies de animais, plantas, fungos e seres unicelulares. O planeta tem um pouco mais de 510 milhões de km2 de área, e seu formato é arredondado devido à sua gravidade.

Rotação e Translação

A Terra possui dois tipos de movimento que influenciam bastante o comportamento e a vida no planeta. A rotação é o mais fácil de ser percebido, é o movimento da Terra girando em torno do seu próprio eixo. É esse movimento, com aproximadamente 24 horas de duração, que produz os dias e as noites, além de causar algumas correntes aéreas e marítimas. A translação, por outro lado, não é tão perceptível assim, mas temos a prova deste movimento nas mudanças de estação durante o ano. A translação é o movimento da Terra em torno do Sol, e o tempo que ele leva para fazer esse caminho — cerca de 365 dias — é que define o ano.

ilustração do movimento de translação da Terra e as mudanças de estações do ano.

Translação da Terra e as mudanças do ano

Esses movimentos são causados por motivos diferentes. A rotação se dá graças ao núcleo do planeta, que gira a uma velocidade altíssima e faz toda a esfera se mover. A translação é causada pelo campo gravitacional do Sol, a Terra gira em torno dele em uma órbita gerada por sua gravidade. As estações do ano não têm relação com a distância entre o planeta e a maior estrela do Sistema, mas sim com sua inclinação em relação a ela. Como a Terra não tem um eixo perfeitamente paralelo ao do Sol, os raios solares incidem em diferentes ângulos em relação ao nosso planeta.

Atmosfera

A atmosfera terrestre passou por diversas mudanças desde a sua formação, partindo de uma atmosfera onde quase nenhum ser vivo poderia sobreviver até a que conhecemos hoje. A evolução da vida terrestre influenciou bastante a atmosfera, e a recíproca também é verdadeira. Com o surgimento de seres que fazem processos de fotossíntese, a atmosfera conseguiu se modificar até atingir o ponto em que os seres que respiram oxigênio puderam se desenvolver. Além da formação dos seres aeróbicos, essa mudança possibilitou a constituição da camada de ozônio que, em parte, protege a Terra dos raios ultravioleta.

A atmosfera é constituída, predominantemente, de nitrogênio e oxigênio, respectivamente 78% e 21% da constituição do nosso ar. Apesar da quantidade ser pequena quando comparada ao tamanho da atmosfera, o aumento de gases que absorvem energia térmica tem dado margem a uma série de teorias e comentários sobre o aumento da intensidade do fenômeno chamado efeito estufa e as implicações disso para a vida na Terra. Este fenômeno, porém, sempre aconteceu, e é ele que possibilita que o planeta mantenha uma temperatura favorável à existência de vida.

Estrutura da Atmosfera

A atmosfera é composta por cinco partes, cada uma com sua peculiaridade. As camadas da atmosfera são as seguintes:

  • Troposfera: Parte mais baixa da atmosfera. Chega até 20 km de altitude, e é onde se localizam as nuvens e onde voam os aviões. Concentra a maior parte da massa da atmosfera.
  • Estratosfera: Segunda camada mais baixa da atmosfera. Chega até os 50 km de altitude, é nela que os raios solares se difundem e dão ao céu a cor azul.
  • Mesosfera: Camada média da atmosfera. Chega até os 85 km de altitude, e é onde os meteoroides entram em combustão e tornam-se meteoros.
  • Termosfera: Segunda camada mais alta da atmosfera. Chega até os 650 km de altura, caracteriza-se pela intensa presença de íons. É nessa parte que as auroras se formam, e também começa a órbita de satélites.
  • Exosfera: A camada mais exterior da atmosfera. Chega a até 1000 km de altitude e atinge até os 1000 ºC. Formada praticamente por hidrogênio e hélio, concentra a maioria dos satélites artificiais terrestres. Apesar das altas temperaturas, o ar muito rarefeito quase anula a troca de calor.

Hidrosfera

A hidrosfera corresponde a toda a água do planeta Terra, sejam mares, lagos, rios, oceanos ou correntes e reservas subterrâneas. Mais de 70% da superfície terrestre é coberta por água, e possivelmente foi nela que a vida no planeta começou — também é por causa dela que ainda se mantém. O ciclo da água é um fenômeno essencial para a manutenção da vida na Terra. Sem a evaporação das águas do oceano não teríamos chuva ou água que pudêssemos beber. É por conta do ciclo da água que os rios continuam fluindo. As água congeladas também fazem parte da hidrosfera.

Estrutura terrestre

A Terra é formada por várias camadas, além da atmosfera e da hidrosfera, existe a parte sólida, que vai muito além de onde nós pisamos. À medida que vamos nos aproximando do centro do planeta, a temperatura aumenta cada vez mais. São camadas da estrutura terrestre:

Ilustração das camadas terrestres.

Ilustração das camadas terrestres.

  • Litosfera: Camada sólida do planeta mais distante do núcleo, forma um tipo de cobertura para a as partes menos sólidas que estão abaixo dela. É formada pela crosta e pelo manto externo. As placas tectônicas são formadas na litosfera. Sua composição é muito variada, pois possui muitos minerais. Pode chegar aos 70 km de profundidade.
  • Astenosfera: Esta camada é quase como um amortecedor de atividades físicas. Pode chegar a até 100 km de profundidade e não tem um estado muito líquido.
  • Manto: O manto pode chegar até 2.900 km de profundidade, e é nele que boiam as placas tectônicas. A maior parte de seu estado é líquido, mas as partes mais próximas à superfície são mais sólidas.
  • Núcleo Externo: Também conhecido como núcleo líquido, formado em sua maior parte por ferro no estado líquido. É esta região que gera o campo magnético terrestre, graças à sua movimentação que funciona como uma bobina.
  • Núcleo interno: A última camada terrestre. Acredita-se que seja formado predominantemente por níquel e ferro em estado sólido, e que sua temperatura possa chegar a 6 mil graus Celsius.

Biosfera

A biosfera é um conceito criado e introduzido no estudo do planeta Terra por Eduard Suess, geólogo austríaco, em 1875. Refere-se a todos os ecossistemas terrestres, e segue o padrão de nome das outras estruturas da Terra. Biosfera significa “esfera da vida”, é a camada que representa os seres vivos e os ecossistemas onde eles vivem. Contém as três estruturas já citadas. Com o avanço tecnológico do ser humano, o numero de biomas naturais está diminuindo, e isso causa um grande problema para toda a biosfera. A Terra é o único planeta do Sistema Solar, e o único conhecido por nossos cientistas, que favorece a vida humana, por isso a manutenção e recuperação da biosfera são fundamentais.

Satélites

Imagem da Terra e Lua em comparação

Terra e Lua em comparação

A Terra possui um satélite natural e mais de 930 satélites artificiais. O satélite natural é a Lua, e é por conta de sua atração gravitacional com a Terra que temos as variações de marés. O fenômeno eclipse também tem relação com a Lua, ele é a sombra do satélite projetada sobre a superfície terrestre. Apesar de sua importância física para a Terra, a Lua também inspira poesias e outras manifestações artísticas, já que aparece durante a noite e reflete a luz do Sol, iluminando o nosso planeta. A Lua, porem não é a única a orbitar a Terra. Centenas de satélites artificiais estão rodeando o planeta, o maior deles é a Estação Espacial Internacional. O telescópio espacial Hubble também é um satélite artificial importante. Fora os satélites e a Lua, existem diversos outros corpos menores rodeando a terra, normalmente partes de satélites ou ônibus espaciais que se soltaram ou foram descartadas. Esses corpos são chamados de lixo espacial.