Vênus é o segundo planeta do Sistema Solar, é um planeta terrestre e tem quase as mesmas proporções, em tamanho e massa, da Terra, sendo até chamado de “irmão gêmeo” do nosso planeta por conta disso. Também é conhecido popularmente como Estrela da Manhã ou Estrela D’alva, pois além de ser o corpo mais brilhante no céu depois do Sol e da Lua, tem o ápice de seu brilho pouco antes do raiar do dia. Vênus completa uma órbita ao redor do Sol a cada 225 dias, aproximadamente, e gira em torno de si mesmo a cada 243 dias terrestres, a mais lenta rotação de todo o Sistema Solar. Por causa disso, o dia de Vênus é mais longo que o seu ano.

Imagem da superfície de Vênus

Planeta Vênus

Estrutura e composição

Vênus tem uma composição muito diferente da composição da Terra, principalmente em sua atmosfera. Cerca de 96,5% da atmosfera venusiana é composta por dióxido de carbono e o restante é majoritariamente composto por nitrogênio. Não se sabe muito da estrutura interna do planeta, mas acredita-se que seja similar à da Terra, devido aos tamanhos e massas parecidos. Logo, é possível que Vênus tenha um núcleo, um manto e uma crosta. Não existem dados sísmicos conhecidos a respeito do planeta, o que indica que possivelmente ele não possui placas tectônicas nem atividade vulcânica no seu período atual. A maior parte da superfície do planeta é composta por planícies, há também crateras de impacto e outras formações que foram originadas de atividades vulcânicas do passado.

Observação

O planeta pode ser observado a olho nu a partir da Terra, seu ápice de brilho é um pouco antes do nascer do Sol, na alvorada, o que deu origem aos “apelidos” Estrela da Manhã e Estrela D’alva. Assim como a Lua, o planeta possui fases, mas elas são vistas apenas por telescópio e nunca é possível ver 100% da sua superfície. Seu brilho é tão intenso que é capaz de gerar sombras quando ele está em seu ápice. Muitas vezes Vênus é confundido com um objeto voador não identificado (OVNI).

Vênus e cultura

Obra de Sandro Botticelli, Nascimento de Vênus

Obra de Botticelli, Nascimento de Vênus

Vênus é a deusa romana da beleza e do amor, relacionada à deusa grega Afrodite. O nome dessa deusa foi dado ao planeta por conta de sua aparência lisa como a de uma pérola e do seu brilho. O planeta já foi citada pelos babilônios em seus escritos cuneiformes, adorado pelos gregos e egípcios, e até na cultura persa foi relacionado a Anahita, deusa da fertilidade, da sabedoria e das águas. Diversos povos adoraram e cultuaram o planeta, o que mostra que seu brilho exercia um fascínio sobre os homens. Não por acaso, o símbolo do planeta é mesmo símbolo usado para o gênero feminino: ♀.

O planeta também foi alvo de teorias e de histórias de ficção por todo o mundo. Immanuel Velikovsky disse em seu livro que Vênus já quase se colidiu com a Terra. No mundo da ficção cientifica, vários autores escreviam sobre a superfície de Vênus, antes desconhecida por conta de sua nuvens.

Pesquisa e exploração

Vênus recebeu a primeira sonda lançada para um planeta, e esse feito aconteceu em fevereiro de 1961. A sonda se chamava Venera 1, e perdeu contato com a Terra após sete dias de missão. A sonda Mariner 2 foi a primeira missão bem sucedida no planeta, e trouxe aos cientistas diversas informações importantes, inclusive a de que ele não seria capaz de abrigar vida em sua superfície. Diversas sondas soviéticas e americanas foram lançadas para entrar na atmosfera de Vênus entre 1966 e 1969.

Atualmente, a superfície do planeta já está quase 100% mapeada graças à sonda americana Magellan, que ficou em operação por quatro anos e meio. As pesquisas e exploração de Vênus continuam. O planeta é tão badalado que já se pensou em mandar uma missão tripulada para lá. Levaria em torno de um ano, e os astronautas ficariam alguns meses na órbita do planeta.